Ex-prefeito manobra na Justiça para ‘escapar’ da CPI da CAERD

Porto Velho, RO – Dois Amorim de famílias distintas e que já foram ex-prefeitos de Ariquemes estão em polos divergentes no caso da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Companhia de Água e Esgoto do Estado de Rondônia (CAERD). Lorival, na condição de investigado; Ernandes, vereador pelo PTB, enquanto presidente da Comissão que tem Renato Padeiro (PDT) como relator.

“É uma CPI que, quando encerrada, terá de haver uma operação da Polícia Federal em Rondônia para apurar escândalos do mesmo tipo”, disse o petebista ao Rondônia Dinâmica.

Segundo Ernandes Amorim, no ano passado o ex-prefeito Lorival, seu xará de sobrenome, teria realizado uma licitação a fim de proporcionar a concessão de serviços de água e esgoto, até então fornecidos diretamente pela CAERD, à empresa Águas de Ariquemes, que passou a operá-los.

“Foi uma licitação aberta para beneficiar essa empresa criada a ‘pé de pau’. Ariquemes tem mais de 100 mil habitantes, meu amigo. Não dá pra ficar à mercê desse empreendimento que beneficiado a toque de caixa pelo ex-prefeito e pela composição anterior da Câmara de Vereadores. Para algo assim ocorrer, teria de passar pela aprovação do Legislativo após ampla discussão de projeto específico. Nada disso foi feito”, disse o ex-senador.

Ernandes ainda destacou que teria “corrido” dinheiro nessa transação, sem especificar origem, destino e destinatário do suposto acerto financeiro obtuso.

“Esse esquema acontece em Rolim de Moura, Pimenta Bueno e outras cidades. Pertence a um grupo envolvido até a tampa em crimes, inclusive uma prefeita e vereadores de São Paulo. Vou além: o grupo pretende chegar à Capital, estão sondando privatizar a CAERD em Porto Velho”, anotou o edil.

A CPI relata, entre outros pontos, que a CAERD fornecia água potável e de baixo custo à população ariquemense; após a Águas de Ariquemes tomar conta dos negócios, segundo o  vereador presidente, falta abastecimento em diversas regiões da cidade, não há tratamento e, em vários lugares onde a água ainda chega, muitas vezes sai marrom, barrenta por conta da mistura com a terra.

“O atual prefeito [Thiago Flores, do PMDB] deveria anular a concessão, mas nada fez. A CPI tem poder de polícia e de apurar os fatos. Desenvolvemos os serviços e inclusive o ex-prefeito Lorival respondeu diante de nós. Estamos fechando o relatório após ouvir o dono da empresa na próxima sexta-feira (11). Devemos pedir a nulidade da concessão e a retomada de serviços pela CAERD. Também entraremos na Justiça a fim de tirar a empresa do local onde se instalou de forma irregular”, anotou.

Manobra

Enquanto isso, Lorival, através do Judiciário, teve outra tentativa de sair da condição de investigado frustrada. O desembargador Eurico Montenegro rechaçou pedido liminar em recurso apresentado contra decisão de primeiro grau que já havia negado a mesma coisa.

Lorival Amorim afirma que o objeto da Comissão é “por demais amplo, genérico e irrestrito a um fato determinado, o que dificulta ou até mesmo afasta o exercício do contraditório e ampla defesa[…], tido em tal procedimento como investigado.”.

rondoniadinamica

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>