Reunião para militarizar escola na capital termina em spray de pimenta na cara de professores, pais, alunos e sindicalistas. Vídeo

A audiência pública acabou em muita revolta, com os ânimos exaltados e policiais militares se posicionando para um possível confronto. “Foi um fracasso “, resumiu um sindicalista com os olhos lacrimejando pelo spray de pimenta. 

 

 

Publicidade

Uma audiência pública realizada na noite desta sexta-feira na Escola Estadual Capitão Cláudio, na Zona Sul de Porto Velho, terminou num incidente envolvendo professores, pais de alunos e membros da comunidade que acompanhavam o evento. Um dos policiais militares acionou o spray de pimenta e acabou com a reunião comandada pelo deputado estadual Jesuíno Boabaid (PMN), parlamentar egresso da corporação e que quer militarizar pelo menos três escolas na capital – Flora Calheiros, Oswaldo Piana e a própria Capitão Cláudio.

Estavam presentes na audiência pública, além do próprio Jesuíno, sindicalistas, representantes da Seduc, dos alunos e da comunidade. Em discussão, a gestão da escola por policiais militares. O argumento de Jesuíno, autor da proposta, é reduzir o índice de violência nestes estabelecimentos de ensino.

No entanto, o incidente com o spray de pimenta – acidental ou não – acabou com a audiência. A população ficou revoltada com os policiais. Houve quem acusasse os PMs de sabotar a reunião.

A audiência pública acabou em muita revolta, com os ânimos exaltados e policiais militares se posicionando para um possível confronto. “Foi um fracasso “, resumiu um sindicalista com os olhos lacrimejando pelo spray de pimenta.

A MILITARIZAÇÃO

 

O deputado Jesuíno Boabaid,  que quer militarizar as escolas, impôs, em sua proposta,   uma série de normas a serem seguidas  por alunos , como, por exemplo:

o  corte de cabelo masculino será feito com máquina 2, e refeito de 15 em 15 dias. Não serão  permitidos barba, bigode ou cavanhaque, brinco, piercing nem óculos escuros. Guarda-chuva, somente na cor preta. Os cabelos femininos podem ficar soltos, contanto que não ultrapassem a altura da gola do uniforme. Se médio ou longo, deve ser preso. Mechas coloridas são proibidas. As unhas devem ser incolores ou pintadas apenas nas cores branca e rosa-clara. Ao cruzarem com um professor, diretor ou monitor, os alunos devem prestar continência. Namorar, beijar, andar abraçado ou de mãos dadas são considerados atos de  transgressão disciplinar e os pais são chamados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>