Modern technology gives us many things.

Mundo teve 3 vezes mais mortes na pandemia do que apontam os dados oficiais até 2021, diz OMS

Estimativas mostram as mortes associadas direta ou indiretamente à pandemia de Covid-19

Estimativas mostram as mortes associadas direta ou indiretamente à pandemia de Covid-19

Cerca de 15 milhões de pessoas morreram por causa da pandemia de Covid-19 em todo o mundo até o fim de 2021, de acordo com estimativa divulgada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira (5).

O número (14,9 milhões de mortes, com uma margem de entre 13,3 e 16,6 milhões) é bem superior ao que consta nos dados oficiais do período, que apontam 5,4 milhões de mortes por causa da Covid entre janeiro de 2020 e dezembro do ano passado.

Ou seja, a estimativa do chamado “excesso de mortalidade” indica que a pandemia teve um impacto três vezes superior ao que consta na soma dos balanços oficiais divulgados pelos países.

A projeção da OMS vai na mesma direção de estudo publicado em março na revista “The Lancet”, que também aponta que a pandemia matou três vezes mais pessoas do que os registros oficiais.

“Esses dados preocupantes não apenas apontam para o impacto da pandemia, mas também para a necessidade de todos os países investirem em sistemas de saúde mais resilientes”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

A OMS declarou a pandemia de coronavírus no dia 11 de março de 2020. De lá para cá, o Brasil já registrou mais de 663 mil mortes por Covid-19 e mais de 30 milhões de casos confirmados.

As novas estimativas da OMS mostram as mortes associadas direta ou indiretamente à pandemia de Covid-19. “O número de mortes, ou excesso de mortalidade, inclui óbitos associados diretamente a Covid-19, devido à doença, ou indiretamente, devido ao impacto da pandemia nos sistemas de saúde e na sociedade”, explica a OMS.

O número de “mortes superior ao esperado” – chamado de excesso de mortalidade ou excesso de mortes – engloba apenas vítimas de doenças (causas naturais) e não considera os óbitos ocorridos por acidentes ou armas de fogo, por exemplo.

Abaixo, entenda os conceitos utilizados pelos epidemiologistas:

Excesso de mortalidade: mede o impacto da evolução de doenças em uma população e a eficácia do sistema de saúde do país em socorrer esses doentes.

Cálculo do excesso: é feita a subtração entre os óbitos por causas naturais registrados (ou esperadas) entre o ano analisado e a série histórica anterior.

Mortes por causas naturais: são aquelas provocadas por qualquer doença, desde um infarto, câncer a Covid-19. Não entram, por exemplo mortes por acidentes, violência doméstica ou armas de fogo.

Porque o aumento na pandemia?: Foi causado tanto pelo impacto direto da nova doença como pelo indireto, por falta de assistência médica por superlotação de hospitais ou pela demora em buscar o médico.

Países mais afetados

Vinte países, representando aproximadamente 50% da população global, respondem por mais de 80% do excesso de mortalidade global estimado para o período de janeiro de 2020 a dezembro de 2021.

Esses países são Brasil, Colômbia, Egito, Alemanha, Índia, Indonésia, República Islâmica do Irã, Itália, México, Nigéria, Paquistão, Peru, Filipinas, Polônia, Federação Russa, África do Sul, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, Turquia, Ucrânia e Estados Unidos da América (EUA).

De acordo com a OMS, 84% das mortes estão concentradas no Sudeste Asiático, Europa e Américas, sendo que 68% delas em apenas 10 países em todo o mundo.

Entre os gêneros, a maioria das mortes ocorreu entre os homens, que somam 57% das vítimas.

Por G1

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.