Modern technology gives us many things.

STF: Moraes vota a favor de congelamento de salários de servidores

Plenário virtual decide se lei aprovada em 2020, que impediu aumento de remunerações do funcionalismo até o final de 2021, deve ser mantida

0

Plenário virtual decide se lei aprovada em 2020, que impediu aumento de remunerações do funcionalismo até o final de 2021, deve ser mantida

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta sexta-feira (5/3) a favor da lei aprovada no ano passado, que impediu, até o fim deste ano, aumento de salário dos servidores. A medida foi alvo de ações de partidos e associações na Corte.

O tema começou a ser discutido pelo plenário virtual da Corte. Com isso, a previsão é de que os 11 ministros depositem os votos no site do Supremo até o dia 12 de março.

Nas ações, o PDT, PT e entidades alegam que a lei não poderia atingir estados e municípios nem outros poderes além do Executivo, que propôs a medida. Argumentam ainda que haveria, na prática, redução da remuneração, sem reajustes pela inflação.

A medida foi aprovada para atenuar o desequilíbrio fiscal gerado com os gastos no combate à pandemia.

Moraes negou o argumento e defendeu a manutenção da lei. “A gravidade da emergência causada pela pandemia da Covid-19 exige das autoridades brasileiras, em todos os níveis de governo, a efetivação concreta da proteção à saúde pública, com a adoção de todas as medidas possíveis e tecnicamente sustentáveis para o apoio e manutenção das atividades do SUS”, diz o voto.

Uma decisão favorável ao congelamento pela maioria dos 11 ministros poderá dar força para a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que prevê a continuidade da medida.

O congelamento automático foi derrubado no Senado, mas a PEC vai ser analisada, semana que vem, pela Câmara dos Deputados. O texto aprovado pelos senadores define “gatilhos” nos gastos públicos para que os salários não sejam reajustados.

 

Metrópoles

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.